Filme

Hj a tarde eu tava dobrando a roupa seca do varal, me perguntando sobre o que eu escreveria hj. Ai eu me lembrei de uma coisa agora que eu tinha lembrado naquela hora. Vcs sabiam que eu tenho uma teoria estranha sobre a vida? Sabe qual? A seguinte: eu tenho quase certeza de que cada um vive a vida, mas na verdade cada um faz parte do seu próprio filme. Parece doidice, né? Pode até ser doidice. Mas se vcs pararem pra pensar, acho que vão concordar comigo.

A coisa funciona mais ou menos assim: cada um de nós é o ator principal, o protagonista do seu filme. As pessoas mais próximas de nós são os coadjuvantes. Uns com mais importância, outros com menos, de acordo com a situação. As pessoas que não conhecemos, aquelas que andam na rua e não olham pra camera, são figurantes c
ontratados pra dar "volume" às cenas. Elas podem fazer pequenas participações nos nossos filmes ou até mesmo se transformarem em coadjuvantes. E cada filme individual vai seguindo com capítulos que se encaixam um nos outros, onde cada um tem oportunidade de escolher quem vai dirigir seu filme e entrega ele nas mãos de alguém. Pode ser vc mesmo, um amigo, um amor... o meu filme está entregue nas mãos de Deus.

Tá meio confuso, né? Vou tentar explicar melhor (eu sou enrolada mesmo, eu não teria paciência de conversar comigo mesma, tem vezes que meus pensamentos viram ciclones dentro da minha cabeça). Certo, na minha vida, por exemplo, os capítulos geralmente duram 1 ou 2 semanas. Os capítulos sempre têm algum assunto específico, é o assunto principal do capítulo. Se eu tiver conversando sobre o sol, td vai girar em torno do sol. Um dia ele vai tá quente e eu vou me importar fortemente com a quentura, outro dia eu vou ver uma blusa de sol, outro eu vou querer pegar sol (e não vou poder, pra variar... pq nessa cidade só faz frio). Entenderam mais ou menos? Se vcs pararem pra observar, nossos filmes têm até trilha sonora. Nesse capítulo que eu tô vivendo essa semana as músicas têm um tema: o amor. Talvez esse seja o tema do capítulo atual também. Tá tudo girando em torno disso. Que coisa! Espero que vcs não tenham achado que eu falei muita besteira dessa vez e voltem outras vezes. Prometo que eu vou tentar falar sobre coisas mais interessantes.

E pra vcs um soneto que eu gosto muito que antigamente eu sabia de cor. Camões é fácil de decorar.
Amor é fogo que arde sem se ver

Amor é fogo que arde sem se ver;
É ferida que dói e não se sente;
É um contentamento descontente;
É dor que desatina sem doer;

É um não querer mais que bem querer;
É solitário andar por entre a gente;
É nunca contentar-se de contente;
É cuidar que se ganha em se perder;

É querer estar preso por vontade;
É servir a quem vence, o vencedor;
É ter com quem nos mata lealdade.

Mas como causar pode seu favor
Nos corações humanos amizade,
Se tão contrário a si é o mesmo Amor?

Luís de Camões

2 comentários:

Josh Boyd disse...

será que depois que acabam nossos 'filmes de vida'.....a gente pagaria pra ver??

espero que o meu seja comédia..

Dani Francisco disse...

Talvez muitos de nós não, Josh... Mas temos que nos esforçar pra isso, né? :)